Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
12/04/2017 10h04
Padre Antônio Lemos Barbosa - Resumo biográfico

Ilustração: Reprodução de foto do Padre Antônio Lemos Barbosa, em 1959, por ocasião de seu jubileu sacerdotal (Fonte: Revista Vida Doméstica - Out/1959)


SUMÁRIO


Apresentação

Já escrevemos um texto sobre a vida literária do Padre Antônio Lemos Barbosa, que foi pároco em Lambari nos anos 1938-1946 (aqui).

Neste post, vamos comentar um pouco sobre sua vida eclesiástica e acadêmica, e bem assim sobre suas atividades de capelão militar do Exército brasileiro.

Vamos lá. 

Voltar


Resumo biográfico

Antônio Lemos Barbosa (Três Corações, MG – 15/09/1910 - Rio de Janeiro, RJ, 06/09/1970), filho de fazendeiros, fez os estudos de humanidades no Seminário Diocesano de Campanha, sendo depois enviado ao Pontifício Colégio Pio Latino Americano de Roma, onde cursou, por 7 anos, a Universidade Gregoriana, doutorando-se ali em Filosofia e Teologia. Foi ordenado padre a 24 de julho de 1934 pelo Cardeal Marchetti-Selvagianni, vigário-geral de Roma. Celebrou sua primeira missa rezada nas catacumbas de Santa Domitila e a cantada no Pontifício Colégio Pio Brasileiro, do qual foi o primeiro aluno e o primeiro sacerdote. (Jornal do Brasil 20, nov, 1956)

Exerceu, sucessivamente, as funções de Secretário do Bispado e Cura da Catedral de Campanha, professor de Teologia Fundamental do Seminário Central de São Paulo, pároco de Lambari, MG e professor de Etnografia e Línguas Indígenas da Universidade Católica do Rio de Janeiro. (Revista Vida Doméstica - Out/1959) (A Cruz 19, jul, 1959)

A partir de 1947, dedicou-se à Igrejinha de Nossa Senhora de Copacabana, participando ativamente de sua reconstrução, tendo sido nomeado seu reitor em 1954. Dessa fase, Padre Barbosa deixou, ainda, dois imóveis para a construção da futura Igreja da Ressurreição. [3] Introduziu também no Rio de Janeiro as missas ao ar livre, tornando a histórica igrejinha conhecida em todo o País.

Sua atuação sacerdotal se caracterizou por intensa disciplina litúrgica, aproximação das massas e constante doutrinação evangélica, através de uma pregação direta e simples. (A Cruz 19, jul, 1959)

Faleceu no Rio de Janeiro, no dia 7 de setembro de 1970.

Reprodução: Jornal do Brasil 7, set, 1970

Voltar


Capelão militar

Em setembro de 1947, por Portaria do Ministro da Guerra, o Padre Antônio Lemos Barbosa foi classificado na capelania do distrito de Defesa da Costa, no posto de Capitão Capelão Militar.

Fonte:  A Manhã - 26, set, 1947


Capelão do Forte de Copacabana, que foi construído em área desapropriada em 1908, na qual existia uma antiga igrejinha de N. S. de Copacabana, Padre Barbosa ideou a reconstrução dessa Igreja no própro bairro de Copacabana, e liderou intenso movimento nesse sentido.

Em próximo post, intitulado Padre Antônio Lemos Barbosa e a Igreja de N. S. de Copacabana, vamos enfocar esse tema.

Reprodução: Revista Vida Doméstica - Ago/1957

Voltar


Atividades eclesiásticas

Pároco em Lambari nos anos de 1938-1946.

Em 1940, preparou em Lambari, com ajuda de senhoras da sociedade local, uma diferenciada Semana Santa, que atraiu inúmeros turistas. Para essa cerimônia, convidou brilhantes oradores sacros: os padres doutores José Mass Papajos, Carlos Ortiz e Joquim Machado (Correio da Manhã 13, mar, 1940).

Reprodução: Correio da Manhã 13, mar, 1940


Em 1945, organizou a Segunda Exposição-Feira de gado, em benefício das obras da nova Igreja Matriz de Nossa Senhora da Saúde, que, repetindo o sucesso da primeira, realizada em 1944, atraiu inúmeros turistas e fazendeiros da região e de outros estados, entre eles João Nunes Ferreira e Virgílio Dias Ribeiro (O Jornal 6, mar, 1945).

Reprodução: O Jornal 6, mar, 1945

Reprodução: Tribuna da Imprensa 22, jul, 1959


Na semana de 13 a 19 de junho de 1955, por ocasião do Congresso Eucarístico Diocesano, e dentro dele a solene Sagração da Nova Matriz, coube ao Padre Barbosa presidir a Missa Solene, cantada pelo coro paroquial de Lambari, e realizada no dia 14 de junho.


Em junho de 1957, a TV Rio, Canal 13, passou a transmitir ao vivo, domingo às 13 horas, a Santa Missa celebrada na Capelinha de Nossa Senhora de Copacabana, com explicações dadas pelo Padre Barbosa. Como se recorda, a missa era em Latim. (Correio da Manhã 30, jun, 1957)

Reprodução: Correio da Manhã 30, jun, 1957


No Rio de Janeiro, em Copacabana, no início dos anos 1950, quando ainda não se construíra a nova Igreja de Nossa Senhora de Copacabana, e como a capelinha improvisada não comportava o grande número de assistentes, Padre Barbosa realizava missas ao ar livre, o que foi gostosamente acatado pela sociedade católica da então capital do País. (Tribuna da Imprensa 22, jul, 1959) - (A Cruz 19, jul 1959)


A conversão de um ateu

Em 1959, por ocasião da comemoração dos 25 anos de sacerdócio, Padre Barbosa deu uma entrevista ao jornal Tribuna da Imprensa, do Rio de Janeiro, no qual, respondendo à pergunta — Qual foi sua maior alegria nestes 25 anos de sacerdócio? — ele referiu um fato ocorrido à época em que exerceu suas atividades religiosas em Lambari.

Confira:

Tribuna da Imprensa 22, jul, 1959


Atividades acadêmicas

  • 1942 - Conferência - Uma página esquecida da Gramática Indígena  - Faculdade Nacional de Filosofia (AM 8, nov, 1942)
  • 1950 - Conferência - Uma peça indígena representada na Guanabara - Instituto de Estudos Portugueses  Afrânio Peixoto (CM 27, jul, 1950)
  • 1950 - Conferência - Revolução Cristã - Centro Dom Vital (CM 15, dez, 1950)
  • 1954 - Conferência do Colégio Militar - A assistência religiosa às Forças Armadas - (CM 27, mai, 1954)
  • 1956 - Curso de Extensão Universitária da Língua Tupi - PUC/RJ (JB 20, nov, 1956)
  • 1958 - Participou da Comissão Julgadora do Prêmio Capistrano de Abreu, instituído pela Biblioteca do Exército, com o tema: Contribuição das línguas indígenas não Tupis no Português do Brasil (JB 25, mai, 1958)

Voltar


Atividades literárias

  • Em 1948, lançou o Vocabulário da Língua Brasílica, editado pelo MEC
  • Em 1951, lançou o livro Vocabulário Tupi-Português, uma obra toda baseada em documentação dos Séculos XVI e XVII (Diário de Notícias 23, out, 1951)
  • Em 1952, supervisionou o lançamento, pela PUC/RJ, do Catecismo da Língua Brasílica, escrito em Tupi, Português e Latim, pelo padre Antônio de Araújo, SJ [em fac simile da edição princeps, de 1618. Primeiro manual religioso utilizado para catequização dos indígenas brasileiros] (Correio da Manhã 8, out, 1952)
  • Em 1956, lançou o Curso de Tupi Antigo, que continua sendo um dos melhores livros didáticos para o aprendizado daquela que foi "a língua mais usada na costa do Brasil" [4]

Voltar


Comemoração dos vinte e cinco anos de sacerdócio

No dia 24 de julho de 1959, quando completou 25 anos de sacerdócio, Padre Barbosa foi homenageado por 85 famílias de Copacabana, bairro no qual, por sua iniciativa, se erigiu a Igreja de N. S. de Copacabana, da qual se tornara reitor. Nessa ocasião, houve missa, banda de música, um bolo gigante, e o Monsenhor Dorneles Barbosa leu a bênção enviada pelo Papa João XXIII. Além das famílias do bairro, participaram do evento autoridades civis, militares e e eclesiásticas (Jornal do Brasil 26, jul, 1959).

Reprodução: Jornal do Brasil 26, jul, 1959

Reprodução: Tribuna da Imprensa 22, jul, 1959

Voltar


Referências

[1]  Jornais: Correio da Manhã, O Jornal, Tribuna da Imprensa, A Manhã, Jornal do Brasil, A Cruz - Edições citdadas acima - Disponíveis em: http://memoria.bn.br

[2]  Revista Vida Doméstica – Agosto de 1957 e Outubro/1959 - Disponíveis em: http://memoria.bn.br

[3]  http://www.paroquiadaressurreicao.com.br/html/historia.html

[4]  http://www.etnolinguistica.org/curso

 

Voltar


 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 12/04/2017 às 10h04
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
07/04/2017 08h23
Nossa Senhora da Saúde - Intercessão e cura

Ilustração: Reprodução - imagem de N. S. Saúde - Ronaldo Mendes - Disponível em: www.elo7.com.br


SUMÁRIO


Apresentação

 Enquanto estiverdes indo pelo mundo inteiro proclamai o Evangelho a toda criatura. 

JESUS, Lucas 16,15


Viver na fé e exemplificar os ensinos de Jesus é dar cumprimento às palavras do Cristo, como está prescrito no versículo acima (Mc 16,15).

E dar o testemunho de nossa fé é também uma forma de proclamar o Evangelho. É o que veremos neste post.

Voltar


Testemunho da fé

Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz.  

JESUS, Lucas 8,48


Abaixo vai o testemunho de cura, por intercessão de Nossa Senhora da Saúde, feito por ADRIANA SALLES KRAUSS MAGALHÃES, e recentemente divulgado no Mensageiro da Fonte - órgão informativo da Paróquia de Nossa Senhora da Saúde, de Lambari, MG.

Voltar


Intercessão e cura

Voltar


Referências

Edição de Dez/2016 - Jan/2017

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 07/04/2017 às 08h23
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
05/04/2017 04h19
A Padroeira de Lambari - História de Nossa Senhora da Saúde

Imagem de abertura: Foto da imagem de N. S. da Saúde existente na Igreja Matriz em Lambari, MG. Escultura em madeira policromada, datada provavelmente da segunda metade do século XVIII. Para mais informações, clique aqui


SUMÁRIO


Apresentação

Já anotamos no site GUIMAGUINHAS a história da padroeira de nossa cidade e a construção das igrejas que foram erguidas em sua devoção (aqui).

Registramos também notícias acerca da construção da atual matriz (aqui), da sagração do novo templo (aqui) e informações sobre o Dr. Benedito Calixto de Jesus Neto, autor dos projetos do Santuário de Aparecida e da Igreja de N. S. da Saúde de Lambari (aqui).

Pois bem, neste post vamos conhecer a história de Nossa Senhora da Saúde, igrejas e festividades que a homenageiam, gravuras e imagens que a retratam e hinos e orações a ela endereçados.

Vamos lá.


     

Igreja Matriz N. S. Saúde, Lambari, MG e imagem (metade do Século XIX )

Site: Paróquia N. S. Saúde - Lambari, MG - AQUI

Voltar


História de Nossa Senhora da Saúde

«Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde" 

Padre António Vieira. Sermão do Nascimento da Mãe de Deus


Como se sabe, a Igreja Católica invoca a Virgem Maria por meio de muitos títulos [ 1 ], sendo um deles o de Nossa Senhora da Saúde

A Senhora da Saúde é especialmente chamada em auxílio dos doentes e a devoção a ela baseia-se em relatos diversificados, que ocorrem nas tradições de Portugal, Itália (Veneza) e México (Patzcuaro). [ 1 ] [ 2 ] 

Em Portugal, a tradição atribui a Nossa Senhora da Saúde intervenção miraculosa que teria cessado vários surtos de peste, ocorridos no século XVI. A partir daí, em sua honra, nas povoações libertas do flagelo, foram-lhe erigidas igrejas ou dedicadas velhas capelas preexistentes.  [ 3 ] 

Eis um resumo dessa tradição:

História

O Século XVI foi muito triste para a Europa, com muitas doenças e a grande peste, conhecida como "a peste negra". Ela assolou todo o continente, principalmente Portugal, onde, no verão de 1568, os primeiros sintomas manifestaram-se em Lisboa. O ano de 1569 foi o pior de todos. Os hospitais estavam lotados, não havia onde colocar tantos doentes, muitas pessoas já haviam morrido. Foi necessário recorrer aos condenados das galés para sepultar as centenas de vítimas diárias da peste. O Rei de Portugal, Dom Sebastião, sem mais recursos, pediu à Espanha o envio de médicos e remédios.

O encontro milagroso da imagem

Perto da igreja da cidade de Sacavém, centenas de covas foram abertas para enterrar as incontáveis vítimas. E numa das covas que foram abertas, foi encontrada uma pequena imagem de Nossa Senhora. Isso foi visto como milagre, e missas e procissões foram organizadas pela população. No ano seguinte as mortes foram diminuindo até acabarem.

Festa de Nossa Senhora da Saúde

Assim, foi escolhido o dia 20 de abril para comemorar o fim da terrível peste, e com uma grande procissão, escolheram o nome de Nossa Senhora da Saúde, para agradecer a ajuda de Maria Santíssima. A partir deste ano de 1570, em todos os anos é comemorado o dia da Santa que acabou com a peste em Portugal. Esta devoção se expandiu para a Espanha e por toda a Europa, e Nossa Senhora é lembrada e venerada com este nome há quase 450 anos. [ 2 ] [ 5 ] 

 

Voltar


Nossa Senhora da Saúde - Itália e México

 No livro Maria e seus títulos gloriosos, de Edésia Aducci [ 2 ], há informações sobre a devoção a Nossa Senhora da Saúde, originárias das seguintes tradições:

  • Nossa Senhora da Saúde (Della Salute) - Veneza [Itália]: Aqui a devoção decorreu de fato ocorrido em 1630, em que a cidade de Veneza viu-se livre da peste por intercessão de Nossa Senhora. [ 3 ]

Basilica di Santa Maria della Salute (Basílica de Santa Maria da Saúde) - Veneza (Fonte: www.expedia.com.br)

Alan Augusto em frente da Basilica di Santa Maria della Salute (2016) 


  • Nossa Senhora da Saúde - Patzcuaro [México]: Aqui a devoção se iniciou com a imagem de Nossa Senhora esculpida pelos índios tarascos em pasta de milho, a qual foi posta em modesto altar num hospital que Dom Vasco de Quiroga, primeiro bispo de Michoacán, erigiu em Patzcuaro, para proteção de enfermos e desvalidos de origem indígena. Isso se deu em 1538, sendo esta a primeira invocação de N. S. Saúde na América Latina.

Basílica N. S. Saúde, Patzcuaro, México (Fonte: correndomundo.blogspot.com.br)

Voltar


Imagens de Nossa Senhora da Saúde

         

N. S. Saúde, Sacavém, Portugal (Fonte: Wikipedia)             Capela N. S. Saúde e S. Sebastião, Lisboa, PT

         

Imagem S. XVIII - Boa Saúde, RN (Fonte: khristianos.blogspot.com.br)  Imagem: S. L. de Ribapinhão, PT (Fonte: http://www.folclore-online.com)

      

Igreja N. S. Saúde, Poços de Caldas (Fonte: www.tripadvisor.com.br)  Imagem Igreja de Valpaços, PT (Fonte: Youtube)


    

(Fonte: www.lojaencontrocomcristo.com.br)      (Fonte: www.arquisp.org.br)

      

(Fonte: www.altoastral.com.br)              (Fonte: www.elo7.com.br)        

Voltar


Igrejas de Nossa Senhora da Saúde

Voltar


Festividades de Nossa Senhora da Saúde

  • Procissão N. S. Saúde, Valpaços, Portugal - Vídeo - aqui

  • Círio N. S. Saúde - Fortaleza, CE - aqui

  • 1° Tríduo Mariano a Nossa Senhora da Saúde - Diocese de Colatina, ES - aqui

Voltar


Significado e simbolismo de N. S. Saúde

 

Simbolismos: Imagens e gravuras de N. S. Saúde apresentam-se com variada diversificação, tais como cores da túnica (azul ou vermelho) e objetos que porta em sua mão (taça, terço, ramos). 

Voltar


Orações e hinos de Nossa Senhora da Saúde

Hinos à Padroeira  - Paróquia N. S. Saúde - Lambari - aqui


 

  • Do livro Orações para todas as horas -  Padre Luís Erlin CMF - aqui

  • Novena a N. S. Saúde - aqui

  • Festa de N. S. Saúde - Paróquia de Santo Antão de Évora, PT - aqui

  • Programa da festa de N. S. da Saúde - 2015 - Lambari, MG

Voltar


Referências

  1. Um mês em companhia de Nossa Senhora - Padre Antônio Lúcio da Silva Lima - São Paulo, Editora Paulus - Ver aqui: goo.gl/RgMTjP
  2. Maria e seus títulos gloriosos - Edésia Aducci - São Paulo, Editora Loyola - Ver aqui: goo.gl/rz5iJ6
  3. N. S. Saúde - Veneza - Itália - aqui
  4. https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saude
  5. http://www.cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-da-saude/29/102/

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 05/04/2017 às 04h19
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
24/02/2017 06h42
MEMÓRIAS DE AGUINHAS - Minha primeira TV

Ilustração: Entrada do Restaurante Uai, que funciona em anexo ao Hotel Rezende, em Lambari, MG


SUMÁRIO


Apresentação

Na série Hotéis de Aguinhas, mostramos algumas cenas de minha infância passadas nas redondezas do Hotel Rezende (aqui). 

Pois bem, entre essas cenas está o tópico Minha primeira TV, uma Telefunken estralando de nova, que recordo no post abaixo.

Confira:


Voltando ao passado

Nesta semana, depois de muitos e muitos anos, deparei-me com a porta frontal do Hotel Rezende aberta de par em par:


E  num átimo me veio à lembrança os "bancos" de onde assistia, em criança, a "minha primeira TV":


Uma Telefunken estralando de nova, que ficava pendurada na parede do salão do Hotel Rezende:


Eu, mais as crianças da rua (Evandro Bacha, Xepinha, Tista, entre outros) e o Zé Paulo engraxate éramos os fiéis frequentadores deste local:


Guima, Xepinha e Zé Paulo engraxate, frequentadores da escadaria do Hotel Rezende, mais tarde jogadores do Juvenil do Águas Virtuosas

 


O Repórter Esso

E na hora do Repóter Esso, não podíamos nem piscar

  • Para recordar, veja este vídeo do Youtube - aqui

Pois bem, agora conheçam essa história, narrada na crônica abaixo:


Minha primeira TV

Foi no Hotel Rezende que "ganhei" minha primeira TV, conforme conto no meu livro de memórias MENINO-SERELEPE*:

Mas quando o seu Toninho de Campos comprou a primeira TV do Hotel Rezende, uma Telefunken estralando de nova, a turminha da rua mais o Zé Paulo engraxate e uns outros meninos que faziam ponto no hotel ficávamos, na ponta dos pés, pescoços esticados, espiando lá do passeio através da janela do salão. Seu Toninho nos deixou ficar assim por uns tempos, mas um dia reuniu a turma, abriu a grande porta de ferro da entrada do hotel e permitiu que sentássemos na escada que dava acesso ao salão, desde que tivéssemos modos e não perturbássemos o sossego dos hóspedes, principalmente na hora do Repórter Esso, que o noticiário testemunha ocular da história era programa sagrado.

E como cumprimos o trato (nunca fizemos uma gata-parida ou um barulhinho que fosse), durante muito tempo essa foi a nossa TV e eu mantinha sob controle, na ponta da língua, a programação dos desenhos, das séries e dos filmes que a turma não podia perder. Quem chegava cedo, pegava os melhores assentos, é claro, e ficava lá esperando que a imagem do indiozinho da TV Tupi desse lugar ao início da programação.

E quando queríamos mudar de canal, fazíamos um gesto pro seu Miquéias Canelhas, o gerente do hotel, que sempre gentil atendia ao pedido da criançada.


Naqueles tempos, a programação da TV começava, geralmente, depois das 3 ou 4 horas da tarde, quando aparecia a figura do indiozinho...

Voltar


Fotos

Abaixo, fotos do Hotel Rezende e do Restaurante Uai:

Voltar


O livro Menino-Serelepe

  (**) O livro Menino-Serelepe - Um antigo menino levado contando vantagem trata-se de uma ficção baseada em fatos reais da vida do autor, numa cidadezinha do interior de Minas Gerais, nos anos 1960.

O livro é de autoria de Antônio Lobo Guimarães, pseudônimo com que Antônio Carlos Guimarães (Guima, de Aguinhas) assina a série MEMÓRIAS DE ÁGUINHAS. Veja acima o tópico Livros à Venda.

Voltar


 



Publicado por Guimaguinhas em 24/02/2017 às 06h42
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
27/01/2017 11h34
MUSEU DA PELADA - Crônica de GUIMAGUINHAS: Triste dia dos meninos botafoguenses

SUMÁRIO


Apresentação

Como já divulgamos aqui, o blog A PELADA COMO ELA É, do jornalista Sérgio Pugliese, repercutiu diversas crônicas do GUIMAGUINHAS, divulgadas na série ÁGUAS VIRTUOSAS FUTEBOL CLUBE. (aqui).

Pois bem, hoje Pugliese nos comunicou a publicação da crônica O MAIS TRISTE DIA DOS MENINOS BOTAFOGUENSES no site MUSEU DA PELADA.

Veja a seguir.

Voltar


A pelada como ela é, de Sérgio Pugliese

O blog está hospedado no site do jornal O GLOBO. Para acessar, clique sobre a imagem abaixo:

Voltar


O MUSEU DA PELADA

O time do MUSEU DA PELADA é formado por Sergio Pugliese (editor chefe), Silvia Magalhães (produtora), Marcelo Tabach (fotógrafo), e tendo PC Caju como padrinho.

Para acessar, clique aqui


Crônica do GUIMAGINHAS no MUSEU DA PELADA

Confira abaixo a crônica O MAIS TRISTE DIA DA VIDA DOS MENINOS BOTAFOGUESES, publicado no site MUSEU DA PELADA:

Voltar


 

Referências

http://blogs.oglobo.globo.com/pelada/

http://www.museudapelada.com/resenha/o-triste-dia-dos-meninos-botafoguenses

http://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=5653796

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 27/01/2017 às 11h34
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 4 de 64 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: