Guimaguinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
29/05/2016 14h00
MEMÓRIAS DO JOÃO BRÁULIO - O Grupo João Bráulio em 1918

Ilustração: Alunos no Grupo João Bráulio Jr., em 1918


SUMÁRIO


Introdução

Nosso primeiro grupo escolar foi criado em 1907 e instalado em 1908, por iniciativa de João Bráulio Júnior, importante político mineiro nascido em Campanha, MG, que morou em Águas Virtuosas e trabalhou politicamente pelo desenvolvimento de nossa cidade.

Quando foi criado, tomou o nome de Grupo Escolar da Vila de Águas Virtuosas, depois foi designado por Grupo Escolar Dr. João Bráulio Júnior; atualmente é denominada Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior.

Inicialmente a instituição funcionou na Rua Wenceslau Braz, em antigo prédio construído e doado pelo município. 

No post abaixo, veremos informações sobre o João Bráulio do ano de 1918, extraídas do livro Águas Virtuosas de Lambary, de Roberto Capri, e bem assim fotos da instituição datadas de 1929.

Vamos lá.

Voltar


O João Bráulio em 1918

Voltar


Fotos do João Bráulio em 1929


Antigo João Bráulio. Ginástica. Início anos 1900


Antigo João Bráulio. Auditório. 1929

Antigo João Bráulio. Auditório. 1929

Voltar


 Sobre o João Bráulio, veja também estes textos:

  • História do Grupo João Bráulio (aqui)
  • Pelotão de Saúde Oswaldo Cruz (aqui)
  • No Grupo João Bráulio (aqui)
  • Desfile de Sete de Setembro (aqui)
  • Festa no João Bráulio (aqui)
  • Aula de Ciências no João Bráulio (aqui)

Referências

  • Águas Virtuosas de Lambary, Roberto Capri, Ed. Pocai & Comp., São Paulo, 1918
  • Museu Américo Werneck, Lambari, MG

Voltar


Publicado por Guimaguinhas em 29/05/2016 às 14h00
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
25/05/2016 10h54
SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F.C. (5b) - O Estádio do A.V.F.C.

SUMÁRIO


Introdução

Em post anterior, falamos sobre o antigo campo de futebol do Águas Virtuosas, construído em área própria (21.830 m2), situada na Rua Francisco de Biaso, nos anos 1930. (aqui)

Hoje, vamos focar o Estádio do A.V.F.C., construído nos anos 1960.

Vamos lá.

Voltar


A transação imobiliária entre o clube Águas Virtuosas e a Prefeitura Municipal de Lambari

Como ficou dito no post anterior, em 1963, mediante a Lei Municipal n° 265, de 13 de setembro, foram estabelecidas condições para que

  1. os acionistas do Águas Virtuosas Futebol Clube e do Jockey Club de Lambari doassem suas ações à Prefeitura Municipal;
  2. a área de terreno pertencente ao clube, com 21.830 m2, situada na Rua Francisco de Biaso, fosse transferida para a municipalidade, com a garantia de que o AVFC teria direitos e vantagens em futuro Estádio Municipal a ser construído;
  3. a Prefeitura Municipal doasse essa área do antigo campo às Indústrias ABI, com vista à expansão do parque industrial dessa empresa.

O "Estádio Municipal", a que se refere a lei acima, viria a ser construído no terreno situado na Rua Francisco de Castro Filho (em frente ao Cassino), o qual foi doado ao Águas Virtuosas, por meio da Lei Municipal n° 359, de 27 de setembro de 1967.

 

Voltar ao topo

Voltar ao tópico re-ratificação


A escritura de doação do terreno em frente ao Cassino

Assim, em 29 de dezembro de 1992, à vista da Lei Municipal n° 359/1967perante o Cartório do 2o. Ofício de Lambari, Livro de Notas n° 83-Afoi lavrada escritura pública de doação do imóvel acima, com área total de 5.498,00 m2.

Voltar ao topo

Voltar ao tópico re-ratificação


Anos 1930: Vista do terreno, em frente ao Cassino, onde seria construído o Estádio do Águas Virtuosas


Anos 1940: Vista do mesmo terreno, então ocupado por um circo.


Campo do Esporte, em frente ao Cassino, onde viria a ser construído o Estádio do Águas Virtuosas.  Na foto, o time de Nova Baden, que então disputava um torneio interno. Entre outros, estão, em pé: Gil, Currila, Afonso e Nilo Carreira. Agachados: Nenê Nascimento, Chanchão, Alemão, Luiz Bié e Odilon.


1965 - Início das obras de construção do Estádio do Águas Virtuosas

Voltar


A inauguração do Estádio do A.V.F.C.

Já comentamos aqui como se deu a inauguração do Estádio do Águas Virtuosas, pela Seleção Brasileira, em abril de 1966 (aqui) (aqui) e (aqui)


  

(1) Jogo treino da Seleção de 1966. Na foto, entre outros: Pelé, Gilmar, Rildo, Gérsone Tostão. (2) Pelé e Jairzinho, com Cristina Viola e outra criança


O Estádio do Águas Virtuosas, pronto para ser inagurado pela Seleção Brasileira, em 1966 ​(Reprodução O Globo, 12/abr/1966. Foto Indalassa Leite)


Reprodução: Correio da Manhã, 10, abr, 1966


Craques como Gilmar, Dino Sani, Bellini, Orlando, Aldair, Djalma Santos, Pelé e Garrincha deixaram as impressões de mãos e pés numa placa de cimento ainda hoje existente.

Fonte: Correio da Manhã, 19, abr, 1966

Voltar


A re-ratificação da escritura de doação do terreno em frente ao Cassino

Como se anotou acima, em dezembro de 1992, dando cumprimento à Lei Municipal n° 359/1967, a Prefeitura Municipal de Lambari doou ao Águas Virtuosas Futebol Clube, por meio de escritura pública lavrada no Cartório do 2° Ofício, o terreno onde se construiu o novo estádio. (aqui)

Nos anos 1990, novas leis foram editadas (aqui), alterando pontos da legislação municipal de 1967, que havia regulado a transação imobiliária entre o Águas Virtuosas e a Municipalidade. (aqui)

Inicialmente, em 4 de junho de 1997, a Lei n° 1.118 declarou de utilidade pública a Associação Esportiva e Cultural Águas Virtuosas Futebol Clube.

Em 1998, a Lei n° 1.167, de 16 de junho, dispôs sobre a re-ratificação da escritura de doação lavrada em 29 de dezembro de 1992, para que

"a área quadrada do terreno, constante da referida escritura, passe a ser de 15.498,00 m2 (quinze mil, quatrocentos e noventa e oito metros quadrados), e a sua confrontação, pelo lado esquerdo, vá até à Sociedade Olímpica de Lambari."

Em 2 de março de 1999, a Lei Municipal n° 1.191 autorizou o Município a "dar em pagamento" ao A.V.F.C. a área acima, de 15.498,00 m2, para "saldar débito para com a entidade".

A escritura da dação em pagamento acima referida foi passada no Cartório do 2° Ofício de Lambari, em 26 de julho de 1999 (Livro 86, fl. 070).

Voltar


A destinação do antigo campo do Águas

E, logo a seguir, em 25 de maio de 1999, a Lei Municipal n° 1.197, autorizou o Poder Executivo Municipal a alienar, através de Processo Licitatório, a área de terreno relativa ao antigo campo do A.V.F.C. ("campo do GRABI").

Finalmente, a Lei Municipal n° 1.228, de 18 de novembro de 1999, autorizou o Poder Executivo Municipal a doar o referido "campo do GRABI" à Associação Atlética de Lambari - AAL, conforme já expusemos no post anterior desta série (aqui).
 

Voltar


A legislação

  1. Lei n° 1.118, de de 4 de junho de 1997 - Declara de utilidade pública a associação esportiva e cultural Águas Virtuosas Futebol Clube​
  2. Lei n° 1.167, de 16 de junho de 1998 - Dispõe sobre re/ratificação da escritura de doação do Município de Lambari ao Águas Virtuosas Futebol Clube, com sede nesta cidade, lavrada em 29 de dezembro de 1992, e dá outras providências.​
  3. Lei n° 1.191, de 23 de março de 1999 - Autoriza o município a dar em pagamento ao "Águas Virtuosas Futebol Clube", terreno pertencente ao Patrimônio Municipal, para saldar débito para com a entidade, e dá outras providências.​
  4. Lei n° 1.197, de 25 de maio de 1999 - Dispõe sobre alienação de bens imóveis​.
  5. Lei n° 1.228, de 18 de novembro de 1999 - Dispõe sobre a doação de imóvel e dá outras providências.

Voltar ao topo

Voltar ao tópico re-ratificação


Fotos do Estádio do A.V.F.C.

Voltar


A atual situação do Estádio do A.V.F.C.

Em 2008, o A.V.F.C. alugou o seu Estádio para a realização de festas de Carnaval, o que danificou grandemente o gramado do campo de futebol, em razão das chuvas ocorridas naqueles dias. 

Meses depois, o clube decidiu dividir o espaço do campo de futebol em duas áreas. Numa, foram construídos dois campos de futebol society. A área restante, somada a espaços existentes fora dos alambrados, foi cimentada para a realização de eventos e shows. Fizeram-se também, quadras de tênis de saibro e há planos de se construir uma piscina social.

Infelizmente, com essa decisão, deu-se fim ao histórico campo de futebol do Águas Virtuosas, inaugurado pela Seleção Brasileira de Futebol em 1966, utilizado para pré-temporadas de grandes clubes do Rio de Janeiro e palco de glórias do futebol de nossa cidade.


Veja também:

  • Sérgio Pugliesi - Jornal O Globo - Blog A PELADA COMO ELA
    • Fim de um estádio no País da Copa - (aqui)

Vista da atual entrada do Estádio do A.V.F.C.


Vistas dos campos society e da área de eventos, no atual Estádio do A.V.F.C.


Referências

Nota: Esta série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F.C. foi elaborada com base em livros, atas, correspondências e outros documentos existentes nos arquivos do clube.


A Série

Posts já publicados

  • Fundação do clube - aqui
  • O Jockey Clube - aqui
  • Amistosos das Décadas de 1920/30/40 - aqui
  • A Taça Guaraína - 1a. Parte - (1941) - aqui
  • Campo do A.V.F.C. - aqui

Continuidade da Série

A série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F. C. prosseguirá com os seguintes títulos:


Em preparo: Taça Guaraína - 1941- 2a. parte


Em preparo: Sócios


Em preparo: Diretorias


(*) Caro(a) visitante,

Nosso objetivo é compartilhar informações, histórias e fotos de nossa cidade, com vista à preservação de sua memória. Assim, se você tiver notícias, informações, fotos das pessoas ou famílias aqui mencionadas, ou quiser fazer alguma correção ou complementação ao texto aqui publicado, entre em contato conosco neste e-mail:  historiasdeaguinhas@gmail.com

Voltar


 

 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 25/05/2016 às 10h54
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
24/05/2016 18h37
MEMÓRIAS DE AGUINHAS - O fotógrafo de Aguinhas

SUMÁRIO


Introdução

Neste post vamos recordar aspectos da vida e da obra do fotógrafo João Gomes d'Almeida [1847-1907], morador de Águas Virtuosas de Lambary desde os finais do Século XIX, que no alistamento eleitoral de 1897/1898 figurava como o único fotógrafo profissional aqui residente.

Trata-se do primeiro fotógrafo radicado no Sul de Minas, e que deixou expressiva coletânea de fotografias, fotos postais e cartões de Águas Virtuosas de Lambary, produzida na primeira década dos anos 1900.

Falecido em 1907, foi sucedido por seu filho João Gomes de Almeida Filho (1893 – 1961), que, então, com 14 anos, prosseguiu no ofício do pai. Assim, pai e filho foram responsáveis pela produção das primeiras imagens de nossa cidade. [2] e [3]

Vamos lá.


    

João Gomes d'Almeida: primeiro o pai, depois o filho

Voltar


Resumo biográfico

Francislei Lima da Silva escreveu para o Dicionário Histórico-biográfico dos fotógrafos e da fotografia do Brasil este pequeno resumo biográfico de João Gomes d'Almeida:

(...) nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1847, perdeu seus pais muito jovem, sendo criado por uma tia. Não foram encontradas maiores informações sobre a sua família, sua infância e juventude.

Em visita à região do sul de Minas Gerais, conheceu sua futura esposa na cidade de São Gonçalo do Sapucaí. Após o seu casamento, instalou-se em Águas Virtuosas de Lambary, estância balneária com grande afluxo de turistas em busca do tratamento termal com as águas minerais. Tornou-se fotógrafo da Empreza das Águas, sediando seu estúdio fotográfico no prédio da Empreza junto ao balneário e cassino do Parque das Águas. Na Photographia Fluminense, registrou grande número de cartões como souvenier para os missivistas/aquáticos que praticavam vilegiatura nos períodos de estação.

Seu primeiro contato com a fotografia teria se dado ainda no Rio de Janeiro, onde se profissionalizou no ofício, constando no alistamento eleitoral de Águas Virtuosas de Lambary de 1897/1898, como o único fotógrafo profissional residente na vila.

Como fotógrafo itinerante, atuou em diversas frentes na região sul mineira, registrando paisagens, monumentos, grupos e fotos mortuárias.

Veja o texto na íntegra (aqui)


Reprodução de dizeres de um cartaz existente no prédio da Empreza das Águas, recinto do Parque das Águas, no início dos anos 1900, que também figurava no verso de alguns retratos ali produzidos

Voltar


A coletânea de postais de Águas Virtuosas

Fonte: O olhar de um fotógrafo e suas paisagens aquáticas - Francislei Lima da Silva [3]

Voltar


Postais

Abaixo, alguns dos postais referidos acima:

Voltar


Cromos

Na definição do Aurélio cromo é

figura estampada em cores, em geral com relevo, constituindo pequeno impresso recortado para colagem em álbuns.

Esses cromos eram desenhados com base em postais, e alguns dos postais da coletânea de Almeida Filho foram transformados em cromos pela Casa Viola, do Rio de Janeiro. 

Confira abaixo:

Fonte: Cromos de Aguinhas (aqui) - Detalhe do postal, reproduzido no cromo: o esguicho d'água, na pedra artificial existente ao pé da barragem. 

Voltar


Referências

  1. Dicionário Histórico-Biográfico dos fotógrafos e da fotografia no Brasil - Disponivel (aqui)
  2. Verbete: João Gomes d'Almeida  - Autor: Fancislei Lima da Silva - Disponível no dicionário acima (aqui)
  3. O olhar de um fotógrafo e suas paisagens aquáticas - Francislei Lima da Silva - In Leituras Paisagísticas 5 - teoria e práxis - Rio de Janeiro EBA/UFRJ, 2015.

Nota: Agradecemos a colaboração da sra. Luíza Silvestrini da Cruz, neta de João Gomes d'Almeida e sobrinha de João Gomes de Almeida Filho, pelas informações prestadas e cessão das fotos utilizadas neste post.

Voltar


 


Publicado por Guimaguinhas em 24/05/2016 às 18h37
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
19/05/2016 09h23
SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F.C. (5a) - O Campo do A.V.F.C.

Ilustração: 1940 - Recorte da planta baixa da antiga Praça de Jogos do A.V.F.C., na qual, além do futebol, foram previstos o salão de jogos, a piscina, a pista de jóquei e quadras de tênis, de peteca e de vôlei.


SUMÁRIO


Introdução

Prosseguindo com a Série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F. C., vamos resgatar a história do Campo de Futebol do Águas Virtuosas, no antigo terreno do clube, inaugurado em 1926, e do Estádio do Águas Virtuosas Futebol Clube, situado defronte do Cassino, inaugurado em 1966.

Neste post (5a), focalizaremos o antigo campo do Águas Virtuosas, na Rua Francisco de Biaso. No próximo (5b), o Estádio do A.V.F.C., na Rua Francisco de Castro Filho, nas proximidades do Cassino.

Vamos lá.

Voltar


O terreno do Águas Virtuosas e do Jockey Club

Nos anos 1930/40, consorciado ao Águas Virtuosas Futebol Clube, funcionou também o Jockey Club de Lambary. Para as atividades conjuntas, fora adquirido um terreno de 21.830 m2, no qual se construiu o campo de futebol e posteriormente as pistas de corrida, como já informamos nos números 1 e 2 desta Série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F. C. (aqui) e (aqui).


Vista aérea do Antigo Campo do Águas Virtuosas


Conquanto a anotação supra, feita à mão nos anos 1940, a área citada possui 21.830 m2, conforme consta de escritura pública de dação em pagamento (outorgante: Prefeitura Municipal de Lambari e outorgado: Águas Virtuosas Futebol Clube), passada no Cartório do 2o. Ofício de Lambari, em 26 de julho de 1999.

Voltar


A inauguração do Campo do Águas Virtuosas Futebol Clube

Fundado a 2 de agosto de 1926, o Águas Virtuosas Futebol Clube (AVFC) inaugurou seu campo de futebol em 7 de setembro de 1926, jogando partida amistosa contra o time de São Lourenço (MG).

O jornal O Globo, do Rio de Janeiro, assim noticiou o evento:


Reprodução - O Globo - 7 de setembro de 1926

Voltar

Voltar ao tópico anterior


A Praça de Jogos do Águas Virtuosas Futebol Clube

Em 1940, já construído o hipódromo, fez-se um plano para edificação das arquibancadas, para o que foi elaborada a seguinte planta baixa da Praça de Jogos do A.V.F.C., que já incluía a pista de corridas:


Planta baixa, feita em 1940, da Praça de Jogos do Águas Virtuosas. A pista de corrida tinha 600 m de extensão por 15 m de largura, em forma ovoide, com duas grandes retas, toda metrada e cercada de madeira.


Antigo Campo do Águas Virtuosas, 1941. Ao fundo, a cerca que separava o campo de futebol da pista de corrridas.

Voltar


O terreno do futuro Estádio do Águas Virtuosas Futebol Clube

Como já contamos (aqui), nos anos 1950/1960, três times de futebol faziam uso do antigo Campo do Águas: Vasquinho, S.O.L e o próprio Águas Virtuosas.

Em 1963, mediante a Lei Municipal n° 265, de 13 de setembro, foram estabelecidas condições para que os acionistas do Águas Virtuosas Futebol Clube e do Jockey Club de Lambari doassem suas ações à Prefeitura Municipal e, com isso, a área de terreno acima mencionada (21.830 m2), situada na Rua Francisco de Biaso, com a garantia de que teriam direitos e vantagens em futuro Estádio Municipal a ser construído.

Esse "Estádio Municipal" viria a ser construído no terreno abaixo, o qual foi doado ao Águas Virtuosas por meio da Lei Municipal n° 359, de 27 de setembro de 1967.

Mas isso é assunto para o próximo post desta série (5b). 

Voltar


Anos 1930: Vista do terreno, em frente ao Cassino, onde seria construído o Estádio do Águas Virtuosas


Atual situação do antigo campo do Águas Virtuosas

Com a construção do Estádio do A.V.F.C, em 1966, o antigo campo, cuja área seria destinada à Indústrias ABI, para expansão de suas atividades, o Grêmio Recreativo daquela empresa — o GRABI — passou a utilizar o espaço para jogos e treinamentos. Em razão disso, o antigo campo do Águas passou a ser chamado de campo do GRABI.

Nos anos seguintes, como não se concretizou a doação do terreno às Indústrias ABI, muitos times amadores de Lambari passaram a utilizar o campo.

 No final dos anos 1990, o jogador Tatá (veja este post - aqui) lá iniciou um trabalho social com meninos e jovens, encaminhando-os para a prática de esportes, especialmente o futebol.

Em 18 de novembro de 1999, mediante a Lei Municipal 1.228, a Prefeitura Municipal doou a área (21.830 m2) à Associação Atlética de Lambari - AAL, visando à continuidade do supracitado trabalho social, o que vem ocorrendo até os dias de hoje.

Voltar



Portão de entrada - Antigo campo do Águas Virtuosas, onde funciona atualmente a Associação Atlética de Lambari - AAL

Voltar


Evento esportivo no antigo campo do Águas

No dia 10 de abril de 2016, ocorreu no antigo campo do Águas a decisão do 8° Campeonato de futebol intermunicipal 2016. O jogo foi entre Lambari e São Lourenço, reunindo, quase noventa anos depois,  adversários das mesmas cidades que inauguraram o campo do Águas em 1926. (V. acima - aqui)

Os jogadores Lambarienses se empenharam até o final, fizeram uma grande partida, mas o troféu ficou com time de São Lourenço (Equipe Sta. Helena), que venceu o jogo por 2 x 1. 

O evento foi organizado pelo professor Marcos Cruz, com o apoio da Prefeitura Municipal de Lambari. Mais de 120 jovens participaram da competição, vindos de Cruzília, Natércia, São Lourenço, Caxambu entre outros municípios.

  • Confira neste link (aqui)

Fonte: site da Prefeitura Municipal de Lambari

Voltar


Referências

  • Jornal O Globo - 7 de setembro de 1926
  • Prefeitura Municipal de Lambari
  • Câmara Municipal de Lambari
  • Cartório do 2o. Ofício de Lambari

Nota: Esta série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F.C. foi elaborada com base em livros, atas, correspondências e outros documentos existentes nos arquivos do clube.


A Série

Posts já publicados

  • Fundação do clubeaqui
  • O Jockey Clubeaqui
  • Amistosos das Décadas de 1920/30/40 - aqui
  • A Taça Guaraína - 1a. Parte - (1941) - aqui

Continuidade da Série

A série SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO ÁGUAS VIRTUOSAS F. C. prosseguirá com os seguintes títulos:


Em preparo: O Estádio do A.V.F.C.


Em preparo: Taça Guaraína - 1941- 2a. parte


Em preparo: Sócios


Em preparo: Diretorias


Voltar

(*) Caro(a) visitante,

Nosso objetivo é compartilhar informações, histórias e fotos de nossa cidade, com vista à preservação de sua memória. Assim, se você tiver notícias, informações, fotos das pessoas ou famílias aqui mencionadas, ou quiser fazer alguma correção ou complementação ao texto aqui publicado, entre em contato conosco neste e-mail:  historiasdeaguinhas@gmail.com


Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 19/05/2016 às 09h23
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
14/05/2016 07h18
ÁGUAS VIRTUOSAS F.C. (62) - Goleiros do Águas Virtuosas

Ilustração: Márcio Krauss, tetracampeão pelo Águas Virtuosas, e um dos maiores goleiros da nossa história futebolística


SUMÁRIO


Introdução

Sob as traves dos dois campos em que o time do Águas Virtuosas atuou durante décadas — o antigo campo, na Rua Francisco de Biaso, e o Estádio do AVFC, na Rua Francisco de Castro Filho —, estiveram grandes goleiros, inclusive alguns com passagem pela Seleção Brasileira de Futebol.

Neste post, vamos recordar um pouco dessa história


Os campos de futebol do Águas Virtuosas

Visão atual do antigo campo do Águas Virtuosas, na Rua Francisco de Biaso

Estádio do Águas Virtuosas visto do Cassino, nos anos 1980

Voltar


As traves que fizeram a história do nosso futebol

Dois registros históricos das traves dos campos do Águas Virtuosas enchem de saudades os amantes do nosso futebol.

1948: Gol de Nenê Nascimento, no antigo campo do Águas Virtuosas

1966: Treino da Seleção Brasileira, no recém-inaugurado Estádio do Águas Virtuosas. Na foto, os goleiros Fábio, Manga, Gilmar e Ubirajara, em companhia de Paulo Amaral, o treinador de goleiros (Reprodução: Jornal O Globo, abril de 1966)

Voltar


Grandes goleiros do nosso futebol

Décadas de 1930/50

Nos anos 1930/40, destacou-se Geraldo Pelota como um dos grandes goleiros do Águas Virtuosas, que depois teria Vaca e Eli Capeta como titulares durante anos.


Time do Águas Virtuosas da década de 1930


O goleiro Vaca ao lado de Manoel Correia, no time do Águas dos anos 1950


 Eli (Capeta) foi goleiro do Flamengo de Varginha, e atuou também no Águas, nos anos 1950.

Voltar


Década de 1960

Mais à frente, vieram Zé Airton (Biaso), Nambu e Jaime.


Zé Airton, goleiro campeão pelo Águas Virtuosas em 1960 (aqui)


   

Lance do goleiro Nambu, jogo do Águas X Itanhandu, anos 1960 (aqui)


Carlinhos Castilho e Zé Airton Biaso, goleiros do Vasquinho, são premiados como campeões municipais de 1961


Vasquinho do início dos anos 1960. Na foto, três goleiros: Geraldo, Zé Aírton e Jaime

Voltar


Águas profissional anos 1960

Jerri e Geraldo, dois goleiros que passaram pelo time profissional do Águas, nos anos 1960.


No fundo, à direita, o goleiro Carlinhos, que atuou à época do Águas profissional


Wílson, o melhor goleiro do Águas profissional dos anos 1960

Voltar


Águas dos anos 1970

Édson Rambaldi (Cavalo) foi goleiro do GRABI e do Águas, nos anos 1970

O goleiro Chicão (de São Lourenço), no Águas de 1975

Os goleiros Luiz Carlos (de Santa Rita) e Edson, no Águas de 1976

Voltar


Águas dos anos 1980/90

Quati e Márcio - goleiros do Águas Virtuosas na campanha do tetracampeonato (aqui)

Márcio no time tetracampeão em 1990 (aqui)

Voltar


Outros goleiros

Voltar


Goleiros profissionais

Como se sabe, em épocas douradas do futebol de nossa cidade, grandes clubes profissionais fizeram pré-temporadas e/ou amistosos no Estádio do Águas Virtuosas (aqui).

Entre esses clubes estão:

  • Juvenil do Fluminense (aqui)
  • América do Rio (aqui)
  • Vasco (aqui)
  • Botafogo (aqui)

Eis os goleiros desses times, alguns deles com passagem pela Seleção Brasileira:

Voltar


Referências

  • Jornal O Globo, abril de 1966

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Publicado por Guimaguinhas em 14/05/2016 às 07h18
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 9 de 64 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: