Guimagüinhas
Memórias familiares e da minha cidade natal
Meu Diário
14/06/2018 06h59
LITERATURA DE AGUINHAS - Histórias de Águas Virtuosas, por Gustavo Barroso

Ilustração: Capa do livro Cinza do tempo, de Gustavo Barroso, com contos versando sobre histórias e pessoas de Águas Virtuosas de Lambari


SUMÁRIO


Apresentação

Como já dissemos  aquiaqui, aqui e aqui,  o jornalista, escritor e ensaísta Gustavo Barroso [Fortaleza, CE, 29/12/1888. Rio de Janeiro, RJ, 3/12/1959] foi diretor do Museu Histórico Nacional, por mais de 30 anos e membro da Academia Brasileira de Letras.

Barroso era apaixonado por Águas Virtuosas de Lambary, e aqui construiu o Retiro do Lago, a sua vivenda postada na beira do Lago Guanabara, que frequentou por anos e anos. Em razão disso, trazia amigos para conhecerem a estância e fez muitos outros em Lambari, e sobre esse período escreveu diversos textos, especialmente crônicas e contos.

Pois bem, alguns desses contos foram reunidos no livro Cinza do tempo, que comentamos a seguir.

Confira.

Voltar


Cinza do tempo

Dos 29 contos reunidos em Cinza do tempo, de 1952, treze deles fazem referências a Águas Virtuosas: pessoas, lugares, histórias.

De fato, lá estão menções ao Mericão (alugador de Cavalos),  a Chico Peão (Francisco Costa Prado), às crianças voltando da escola, aos caboclos a cavalo, às tropas de burros vindo da Capelinha do Imbirizal, de Jesuânia, de Olímpio Noronha, de Silvestre Ferraz; ao Lago Guanabara, à Volta da Mata, à estrada para o Pinhão Roxo e Vila dos Coqueiros (atual Heliodora), à antiga fábrica de garrafas, às paineiras, fronteiras ao seu Retiro do Lago, aos caniços, patos selvagens e jaçanãs no entorno do lago.


Índice de Cinza do tempo, de Gustavo Barroso

A maioria dos contos acima fazem referências a pessoas, lugares e histórias de Águas Virtuosas de Lambari

Voltar


O burro preto

 

Reprodução. Revista O Cruzeiro

A equitação era o esporte preferido de Gustavo Barroso, e seus cavalos —entre eles os puros-sangues Honey e Juriti — eram cuidados por Chico Peão, numa cavalariça existente ao lado da propriedade de Barroso, na Volta do Lago.

Chico Peão e Barroso eram amigos, cavalgavam juntos e contavam-se muitas histórias. Entre elas, coletadas no livro acima, está a que foi narrada em O burro preto. 

Confira:


O Burro Preto, extraído de Cinza do tempo, de Gustavo Barroso (Editora A Noite, RJ, 1952)


Seu Chico Peão, personagem do conto O burro preto

Voltar


Referências

  • Gustavo Barroso. Cinza do tempo, Editora A Noite, RJ, 1952.
  • Revista O Cruzeiro (bn.digital.gov.br)
  • Museu Américo Werneck
  • A bibliografia de Gustavo Barroso - disponível aqui

Voltar


 

Publicado por Guimaguinhas
em 14/06/2018 às 06h59

Espaço Francisco de Paula Vítor (Padre Vítor)

 

Aprendizado Espírita Net

 

 

As Águas Virtuosas de Lambari e a devoção a N... R$1,00
Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras

Formas de interação com o site GUIMAGUINHAS

- Contato com o site - clique o link e envie sua mensagemhttp://www.guimaguinhas.prosaeverso.net/contato.php

- Contato com o autor - envie mensagem para este e-mail: historiasdeaguinhas@gmail.com

- Postar comentários sobre textos do site - utilize esta ferramenta que está ao pé do textoComentar/Ver comentários 

- Enviar textos: utilize acima: